Gordura no fígado: como eliminar de forma rápida
Como eliminar de forma rápida a gordura no fígado

Pequenos pedaços de gordura no fígado é uma coisa normal no organismo – o problema começa a existir quando há o excesso. Com a gordura presente no órgão, suas principais funções atuam de forma ineficiente.

O fígado é quem elimina as toxinas do corpo, armazena a gordura dos alimentos, produz colesterol e fabrica os componentes da bile, que nos desintoxica. Sem a atuação forte dele, a sua saúde fica prejudicada e se torna mais difícil de manter um peso saudável.

Porém, para a sua sorte, existe um tratamento para a gordura no fígado. Prossiga com a leitura do artigo e entenda mais sobre o assunto!

Antes de tudo, o que é a gordura no fígado?

“Apesar de ser assintomática, a gordura no fígado pode evoluir para problemas mais sérios, que apresentam sintomas mais fortes.”

A gordura no fígado ou esteatose hepática é uma condição de saúde em que as células do fígado são infiltradas por células de gordura (triglicérides). Isso ocorre normalmente, mas ficando abaixo de 5% de gordura.

Quando a quantidade de gordura no fígado fica entre 5-10%, se trata de um risco para a saúde. A presença da gordura pode levar a uma inflamação no corpo, a esteato-hepatite, que se não for identificada, leva a um quadro de cirrose.

E o que causa a gordura no fígado?

Esteatose hepática alcoólica

Para entender o que causa a gordura no fígado, é necessário dividir as causas em dois grupos, começando pela esteatose hepática alcoólica. Essa primeira ocorre em pessoas que bebem álcool com bastante frequência.

Acontece que as bebidas alcoólicas acabam diminuindo a eficácia do fígado em metabolizar e armazenar hormônios e nutrientes considerados essenciais. Dessa forma, caso a pessoa apresente o problema de alcoolismo, é mais normal ainda que ocorra.

Esteatose hepática não alcoólica

Já na esteatose hepática não alcoólica, diversos quadros podem levar ao problema da gordura no fígado:

  • Sobrepeso e obesidade (excesso de peso é uma das maiores causas);
  • Hepatites virais;
  • Resistência à insulina;
  • Diabetes;
  • Colesterol alto;
  • Triglicérides alto;
  • Uso de medicamentos específicos (corticoides, estrógeno, antirretrovirais, tamoxifeno,…);
  • Inflamação crônica do fígado por causa de outra doença;
  • Perda ou ganho muito rápido de peso.

Quais são os fatores de risco?

O que causa gordura no fígado pode se relacionar com algum fator de risco que você apresenta. Por exemplo, mulheres possuem uma chance maior de desenvolver o problema, já que o hormônio estrógeno facilita o acúmulo de gordura.

Também há uma alta propensão para descendentes de povos orientais ou hispânicos, que correm um risco maior do que os descendentes de africanos. Por fim, são também fatores de risco:

  • A síndrome do ovário policístico;
  • Síndrome metabólica;
  • Apneia do sono;
  • Hipotireoidismo;
  • Acúmulo de gordura abdominal.

Quais são os sintomas da gordura no fígado?

Inicialmente, não são notados os sintomas da gordura no fígado, principalmente os físicos. Nessa fase, a esteatose hepática só é notada através de exames de ultrassonografia do abdômen.

Porém, conforme o problema evolui, começam a aparecer alguns sintomas:

  • Fadiga;
  • Cansaço;
  • Fraqueza;
  • Dor no abdômen;
  • Perda de apetite;
  • Aumento do fígado;
  • Barriga inchada;
  • Dor de cabeça frequente.

Quais são os sintomas da gordura no fígado em casos mais graves?

  • Confusão mental;
  • Hemorragia;
  • Fezes sem cor;
  • Alterações do sono;
  • Mudanças na coagulação;
  • Inchaço dos membros inferiores;
  • Aumento do volume abdominal;
  • Acúmulo fora do normal de líquido no abdômen;
  • Doenças no encéfalo;
  • Icterícia.

Qual é o tratamento para a gordura no fígado?

Antes do tratamento para gordura no fígado, é necessário realizar o diagnóstico, que pode ser feito com ultrassom abdominal ou níveis de TGO/TGP no sangue. Também dá para fazer a biópsia, mas se trata de um procedimento invasivo.

A ultrassonografia é a mais utilizada, já que também indica o grau da esteatose hepática, que pode ser:

  • Grau 1, onde há pequeno acúmulo de gordura;
  • Grau 2, onde há acúmulo moderado;
  • Grau 3, onde há grande acúmulo.

Com a resposta se tem ou não, você pode adotar duas linhas de tratamento: dieta para a gordura no fígado ou remédios.

Dieta para gordura no fígado

A medida mais eficaz para controlar a esteatose hepática acaba sendo montar uma dieta para a gordura no fígado. Ao reduzir 7% do peso corporal, você já consegue obter bons resultados contra a doença.

Então, você deve montar uma dieta hipocalórica, evitando as frituras, gorduras, doces, carboidratos em excesso e bebidas alcoólicas. No seu cardápio, adicione:

  • Quinoa;
  • Beterraba;
  • Espinafre;
  • Farelo e gérmen de trigo;
  • Soja;
  • Ovo;
  • Legumes e verduras;
  • Leguminosas;
  • Alho;
  • Chá verde;
  • Uva;
  • Abacate;
  • Cúrcuma;
  • Dente-de-leão;
  • Alcachofra;
  • Limão.

Priorize a gordura vegetal no seu cardápio, mas não exagere na quantidade desse nutriente!

Remédio para gordura no fígado

Os remédios para gordura no fígado com resultados mais confiáveis são:

  • Vitamina E;
  • Drogas usadas para a diabetes;
  • Xenical, que pode ser usado como droga auxiliar no controle do peso corporal. Não tem ação direta sobre a esteatose hepática;
  • Ursacol, N-acetilcisteína, ácido fólico e silimarina, porém todos apresentam resultados inconclusivos em testes.

Conclusão

Então, a gordura no fígado tem cura? Sim, há chances de reverter o quadro da esteatose hepática ou de estabilizá-lo. Com o diagnóstico precoce, é possível que essa reversão seja ainda mais rápida.

Caso queira reverter o problema ou mesmo prevenir a gordura no fígado, é importante contar com um nutricionista profissional. Agende a sua consulta comigo para montarmos um cardápio eficiente contra esse problema!

Fale comigo pelo Whatsapp!